RADIO FREE

domingo, 13 de agosto de 2017

Maldade incrível que madrasta fez a bebê para se vingar da mãe

post-feature-image

Um caso incrível está chocando as pessoas. Uma jovem madrasta, de 17 anos, se vingou da mãe do bebê de seu companheiro, de uma forma malvada demais. Após uma briga de mulheres em que, supostamente, não se entendiam nada bem, ela foi se vingar justamente no bebê. O menino, Dauda Buhari, tinha somente dois meses, quando foi atacado barbaramente por sua madrasta. Ele ainda teria se recuperado e até estavam planejando levá-lo até o Reino Unido, para uma cirurgia reconstrutiva, que não chegou a acontecer, após o menino ter contraído Malária e morrido pouco depois.

O caso é terrível e teve como vítima a pessoa menos culpada em toda essa complicada história.

O pequeno Dauda nada tinha que ver e estava dormindo no quarto de sua mãe, quando sua madrasta foi pegá-lo. A mulher, de apenas 17 anos, já foi presa, mas foi entrevistada pela televisão nigeriana, onde contou sua versão sobre o que aconteceu para essa tragédia. Em momento algum, ela negou ser a culpada, assumindo o crime, mas justificando de forma quase surreal.

A madrasta malvada, Bara'atu Rabiu, admitiu que estava incomodada com a mãe do bebê e que as duas brigavam muito. Foi após mais uma briga que ela resolveu se vingar, mas no menino. Ela pegou o bebê do quarto da mãe e levou-o para o banheiro, com uma faca de cozinha. Depois, ela cortou o pênis do menino fora, para mostrar para a mãe.

O menino foi inicialmente tratado na Nigéria, mas estava tudo planejado para que ele fosse levado para o Reino Unido, para uma cirurgia de transplante genital, após esse ataque brutal.

De acordo com Mariam Kolo, da Agência de Direitos das Crianças, o bebê já havia feito algumas cirurgias corretivas, após esse incidente, e estava se recuperando bem. Porém, ele já não chegou a viajar de sua aldeia de Wada, na Nigéria, morrendo antes por malária.

Mariam Kolo diz que essa doença nada teve a ver com o ataque sofrido. Ela disse que Dauda contraiu malária, que aumentou a temperatura e morreu, mesmo depois de ter recebido seus medicamentos prescritos. No entanto, ela diz que ele não morreu por ter ficado todo esse tempo no hospital, debilitado por cirurgias e tratamentos, mas que foi por malária.

Na televisão nigeriana, a madrasta disse que decidiu fazer isso em "retaliação a insultos" que recebeu da mãe do menino. "Ela me insultou. Essa foi a principal razão pela qual usei nossa faca de cozinha para cortar o pênis", contou a malvada Bara'atu Rabiu, que entretanto se encontra detida pela polícia.

Enquanto isso, o marido, que também se chama Dauda, como o bebê, ​​disse: "Nunca as ouvi brigando, nunca as vi lutando. Não houve separação. Eu as tratava igualmente".
Reproduzido por MassapeCeara.Com|Créditos: A.M. News via Blasting News

0 comentários:

Postar um comentário