sexta-feira, 30 de junho de 2017

Suspeito de matar fazendeiro em MT já tinha esquartejado primos de 7 e 8 anos

 

Irmãos de 7 e 8 anos foram afogados esquartejados pelo rapaz em 2013.
O jovem Rones da Silva Ribeiro, de 19 anos, que foi preso nesta semana suspeito de ter matado e roubado o fazendeiro Elizeu Lacerda, em Porto Esperidião, a 358 km de Cuiabá, já tinha afogado e esquartejado os dois primos, de 7 e 8 anos, no ano de dezembro de 2013, em Cáceres, a 220 km de Cuiabá. 


De acordo com a Terceira Vara Criminal de Cáceres, Rones cometeu o crime quando era adolescente, na época com 13 anos.
Como era menor de idade, respondeu por um atro infracional pelo crime de homicídio, cumpriu medida socioeducativa ao ser internado e acabou colocado em liberdade. “A decretação da prisão, assim, evitando-se a reiteração na prática criminosa, tem o condão de manter também a tranquilidade social e de proteger a vítima e sua família, os quais ficaram extremamente abaladas com a conduta delitiva”, pontuou a juíza Graciene Pauline Mazeto Correa da Costa, da Terceira Vara Criminal. 
O corpo do fazendeiro foi encontrado carbonizado na noite de domingo (25) na fazenda de propriedade dele, que fica a 10 km da fronteira com a Bolívia, e pertencia ao pecuarista. Rones foi localizado pela Polícia Militar depois de roubar duas motocicletas. A suposta participação dele na morte do pecuarista foi informada pelo irmão dele, Sandro Ferreira da Silva, de 28 anos, que tinha sido preso na segunda-feira (26).



Crime em 2013 As duas crianças, de 7 e 8 anos, foram assassinadas e tiveram os corpos jogados no Rio Paraguai, no dia 4 de dezembro de 2013. Naquela ocasião, Rones e a namorada, Rosana Garcia Cabreira, que tinha 19 anos na época, eram vizinhos das vítimas e moravam na mesma rua, no Bairro Empa, em Cáceres. Quando foram detidos, ainda naquela época, todos confessaram o envolvimento no assassinato à polícia e revelaram que consumiram entorpecentes antes do crime. Atraídos pelo primo de 15 anos, as duas crianças e o irmão delas, de 7 anos, foram tomar banho no Rio Paraguai junto as meninas (uma criança de 11 e Rosana). Naquele momento, as vítimas foram afogadas e, depois de mortas, os dois adolescentes violentaram sexualmente os corpos. Enquanto isso, as garotas seguravam o irmão mais novo, que em seguida conseguiu fugir e sobreviveu. Segundo foi apurado na época, Rones utilizou um machado, um facão e um martelo, que estavam em uma casa abandonada próxima ao local. A intenção era esquartejar os dois irmãos, cortar as barrigas e colocar pedras para que afundassem e não fossem encontrados, mas, como perceberam que algumas pessoas estavam se aproximando, só conseguiram fazer isso com um deles. Rones, quando foi detido, alegou vingança do tio que havia dado uma surra nele. Rosana disse que não gostava das crianças. Rosana está presa desde 2013 no Presídio Feminino Ana Maria do Couto May e ainda não foi julgada.

Fonte:Redação 24 Horas News/G1

0 comentários:

Postar um comentário