quarta-feira, 14 de junho de 2017

Polícia prende suspeitos de matar assessora parlamentar

Dupla foi capturada durante a operação Ramisesse, realizada no bairro Vila Velha.
Uma ação denominada “Ramisesse”, desencadeada na madrugada desta quarta-feira (14), pela Polícia Civil, resultou na prisão de quatro pessoas, duas delas suspeitas de envolvimento com o assassinato da assessora parlamentar Sandra Rafaela Jefferson Bastos, de 29 anos, ocorrido na manhã da última sexta-feira (9), no bairro Vila Velha.

Jonathan Lima da Silva (24) e Romário de Sousa Alves (22) seriam integrantes de um grupo criminoso conhecido como “Gangue dos Gafanhotos”, com atuação na região do bairro Vila Velha, área onde aconteceu a morte da assessora.

De acordo com informações, Romário foi detido com munições para armamento calibre 12. Já Jonathan, também conhecido como “Tatinha”, foi apontado pela Polícia como o responsável por liderar o tráfico de drogas na região, obedecendo ordens de um traficante, que está preso.

Os dois também são apontados como responsáveis por outra morte, onde a vítima foi assassinada com tiros de fuzil e teve o corpo carbonizado e esquartejado.

Mais prisões
Além de Romário e Jonathan, a Polícia prendeu José Wellington Lima da Silva (19) e Rosângela Lopes da Silva (50). Os dois foram detidos com um revólver calibre 38, municiado, e com entorpecentes.

No total, foram apreendidos um revólver calibre 38 municiado, munições para calibre 12, entorpecente e dinheiro. Todos os presos foram encaminhados à delegacia, onde foram realizados os procedimentos cabíveis.

Relembre o caso

Sandra Rafaela Jeferson Bastos foi morta a tiros na última sexta-feira, na avenida Mozart Pinheiro de Lucena, no bairro Vila Velha. Ela, que trabalhava como assessora parlamentar, seguia para a academia quando foi abordada por dois homens em uma motocicleta chegaram e atiraram contra ela. De acordo com informações, a mulher teria ameaçado integrantes da “Gangue dos Gafanhotos” nas redes sociais, atribuindo ao grupo o assassinato de seu pai.

Fonte: Cnews

0 comentários:

Postar um comentário