RADIO FREE

terça-feira, 9 de maio de 2017

Traficante Celsinho da Vila Vintém é transferido de presídio federal para o Rio

Celsinho depõe durante audiência, em 2015 Foto: BRUNNO DANTAS/Divulgação/TJ-RJ

O traficante Celso Luís Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, conseguiu na Justiça a transferência de um presídio federal para uma unidade no Rio de Janeiro. Um dos líderes de uma das principais facções criminosas do estado, que ajudou a fundar nos anos 90, Celsinho chegou na manhã desta terça-feira à Penitenciária Laércio da Costa Pelegrino, mais conhecida como Bangu 1, na Zona Oeste da capital.
Desde 2014, o traficante cumpria pena em presídios federais, mais recentemente na Penitenciária de Porto Velho, em Rondônia, no Norte do país. Na ocasião, um dos argumentos utilizados para que ele fosse retirado do Rio de Janeiro foi a suspeita de participação numa tentativa de resgate de presos no Fórum de Bangu, em outubro anterior. Ele foi apontado como mentor da empreitada, sob alegação de que teria comandado a invasão mesmo preso. A ação deixou uma criança de 8 anos e um policial mortos.
Celsinho (à direita) na ocasião da transferência para penitenciária federal, em 2014
Celsinho (à direita) na ocasião da transferência para penitenciária federal, em 2014 Foto: Amanda Santos/Divulgação Seseg
— Disseram que ele participou dessa situação, mas ele não foi sequer indiciado por aquele fato. A segunda razão era porque ele respondia a um processo de homicídio no qual foi absolvido a pedido do Ministério Público. Então, os dois motivos que ensejaram a transferência caíram por terra. Ele permaneceu por lá esse período indevidamente — afirmou a advogada Flávia Fróes, que representa Celsinho.
Condenado a mais de 30 anos de prisão por crimes como tráfico de drogas, homicídio, corrupção, sequestro, cárcere privado e ocultação de cadáver, Celsinho está encarcerado há uma década e meia. Na decisão em que autoriza a transferência para o Rio, o juiz Rafael Estrela Nóbrega, da Vara de Execuções Penais (VEP), frisa que restam “ao apenado aproximadamente mais quatro anos e oito meses de pena a cumprir, inclusive, com suposto preenchimento do requisito objetivo (lapso temporal) necessário à concessão do livramento condicional”.
Celsinho sorri ao ser preso, em maio de 2002, há 15 anos
Celsinho sorri ao ser preso, em maio de 2002, há 15 anos Foto: Domingos Peixoto / 07.05.2002
‘Meu pai merece’
Parentes de Celsinho comemoraram a decisão numa rede social. “Três anos de federal, acabou o sofrimento, de volta ao RJ”, postou uma mulher, identificando-se como filha do traficante. “Meu pai merece”, escreveu ainda a dona do perfil.
Foto: Reprodução


Com informaçoes extra.globo.com

0 comentários:

Postar um comentário