quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

MARTINÓPOLE-CE: HOMEM INVADE CEMITÉRIO, VIOLA SEPULTURA E FURTA RESTOS MORTAIS PARA TENTAR PROVAR QUE É FILHO DE EX-PREFEITO

Durante o dia de segunda-feira, 02, policiais do destacamento de Martinópole foram solicitados para resolver uma ocorrência no mínimo inusitada. Acreditem, um homem invadiu um cemitério, violou dois túmulos e furtou parte da ossada de um ex-prefeito do município para tentar provar que é filho do mesmo.


O caso

Era por volta das 17h00 quando compareceu ao destacamento policial da cidade um homem identificado como José Adalberto que relatou ter tomado conhecimento de que um homem identificado como Antonio Mauro dos Santos, 25 anos, havia adentrado o cemitério do município e violado a sepultura e retirado os restos mortais de duas pessoas: do ex-prefeito da cidade Dário Campos (sogro do denunciante) e de seu neto (filho do denunciante).
Observando a gravidade do caso, os pm’s colheram maiores informações a cerca do caso e iniciaram as diligências à procura do suspeito, conseguindo localizá-lo e prendê-lo horas depois. No momento da prisão, Antonio Mauro dos Santos se encontrava com partes das arcadas dentárias de ambos guardado em um saco.
Os restos mortais dos corpos foram colocados dentro de um saco pelo indivíduo
Suposta herança

Ao ser indagado a cerca do paradeiro do restante da ossada, o indivíduo informou ter colocado em um saco plástico e colocado no lixo próximo de sua residência. O homem relatou ainda ter pego os dentes para fazer um exame de DNA, pois ele alega ser filho do ex- prefeito e queria com o exame comprovar o fato e pleitear uma herança que entende ter direito.
Mediante os fatos ocorridos, o policiamento deu voz de prisão ao acusado, recolheu os ossos juntamente com os dentes e o conduziu a delegacia regional em Sobral, local onde o estranho caso foi apresentado ao delegado plantonista que resolveu autuá-lo em flagrante com base ao artigo 210 do CPB, sendo posteriormente conduzido à cadeia pública de Granja.

Artigo 210 do CPB - Violar ou profanar sepultura ou urna funerária:
Pena - reclusão, de um a três anos, e multa.
Destruição, subtração ou ocultação de cadáver


Efetuaram a prisão: Sg Alberto, Sgt Julio César, Sds C. Monteiro e Reis

Camocim Polícia 24h

0 comentários:

Postar um comentário