RADIO FREE

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Três deputados propõem 74% dos projetos

Em comparação com o ano passado, houve uma redução na atividade parlamentar dos cearenses na Câmara.

Três deputados federais cearenses foram responsáveis pelas proposições de 106 projetos de leis na Câmara dos Deputados no ano de 2016, o que representa 74% de todas as propostas sugeridas pelos parlamentares eleitos pelo Ceará.

Levantamento feito pelo O POVO, com base nas informações do portal da Câmara dos Deputados, aponta também que legisladores que apresentaram desempenho tímido no ano passado mantiveram a baixa produtividade em 2016.

Para o balanço, foram levadas em considerações as apresentações de Projetos de Leis, de Propostas de Emenda à Constituição e Requerimentos para os mais variados fins. As ações são as mais comuns entre legisladores no Brasil.

Pelo segundo ano consecutivo, o deputado federal Cabo Sabino (PR) se destacou como o mais atuante entre os cearenses. Em 2015, o parlamentar já liderava na quantidade de projetos de leis apresentados, no total de 29. Neste ano, o número saltou para 67.

Ao O POVO, o deputado afirmou que o crescimento em número de propostas é o resultado de maior planejamento e maturidade parlamentar.

“Foi um trabalho bom. Com pouco mais de maturidade, com a experiência que tivemos do primeiro ano, conseguimos avançar bastante. Fizemos um planejamento para 2016. Sentamos com associações, servidores, membros da sociedade civil e ouvimos sugestões de vários segmentos”, ressalta.

Sabino, que também lidera em número de PECs e requerimentos, adianta que em 2017 o trabalho será mais intenso para a aprovação das medidas sugeridas em 
dois anos.

O segundo deputado mais atuante é Moses Rodrigues (PMDB), com 24 projetos, seguido por Vitor Valim (PMDB) com 15.


Baixa produtividade

Na ponta de baixo da tabela no quesito atuação, se destacam negativamente Aníbal Gomes (PMDB), Vicente Arruda (PDT), Macedo (PP) e Arnon bezerra (PTB).

Nenhum deles apresentou sequer um requerimento de questionamento de uma matéria em plenário.

Justificando a baixa produtividade, o peemedebista Aníbal Gomes alegou motivos de saúde. “Foi um ano pouco produtivo porque passei muito tempo de licença, quase cinco meses porque fui me operar. Mas fiz o que podia, colaborei com as medidas que foram mandadas para a Câmara”, lembra.

Vicente Arruda (PDT) completou o segundo ano consecutivo zerado nos três pontos elencados pela reportagem. Arnon Bezerra, que deixa a vaga em Brasília para assumir a prefeitura de Juazeiro do Norte, também manteve a timidez na 
atividade parlamentar. 

Destaque positivo no ano passado, Domingos Neto (PSD) desacelerou na sugestão de projetos em 2016. Campeão de requerimentos no em 2015, com 121 provocações, o deputado apresentou apenas dois no ano seguinte. Foram zero projetos de leis contra 14 do ano anterior.

O POVO procurou os deputados mencionados para comentar os números, mas não conseguiu contato.

Com informações do portal O Povo 

0 comentários:

Postar um comentário