terça-feira, 27 de dezembro de 2016

COVARDIA: Mulher é presa por estuprar e torturar filha de sete anos


Uma mulher foi presa no Rio de Janeiro por suspeita de estuprar e torturar a filha de apenas sete anos. O caso foi descoberto após a mãe levar a menina a um hospital da cidade com alguns ferimentos, justificados por uma queda. Os médicos desconfiaram das marcas, compatíveis com agressões, e descobriram sinais de abuso sexual na garota. Segundo o jornal carioca Extra, a menina teria passado boa parte da vida sob os cuidados de outra mulher. Após a morte desta senhora, a criança precisou voltar a morar com a mãe, com passagens na polícia por tráfico de drogas e agressão a outra filha, hoje maior de idade.

As investigações da polícia descobriram que além de abusar da menina, a mulher de 44 anos permitia que outros homens que visitavam a casa, como o avô de consideração e até mesmo o pai da criança cometessem abusos. Em coletiva de imprensa, o delegado Rodrigo Bechara afirmou afirmou que a mãe dizia para outra filha, de 12 anos, que a menina “tinha que sofrer”. A irmã da vítima teria afirmado, ainda, que parte dos abusos aconteceram na frente dela. Apesar de ter tentado se esconder em uma comunidade do Rio, a mãe negou todas as acusações e disse considerar tudo “absolutamente normal”. Agora, a polícia deve investigar se a mulher também sofreu abusos quando criança.

“Foi detectado que essa criança sofria violência sexual, para satisfazer a libido da mãe e das outras pessoas a quem a mãe liberava”, afirmou a delegada Juliana Amorim, também responsável pelo caso, na coletiva. Os médicos chamaram a atenção para fissuras no ânus, que indicavam a inserção de objetos no local. A mulher foi presa, mas logo garantiu liberdade provisória na justiça. Só 20 dias depois, com o avanço das investigações, ela voltou a ser presa. Durante todo esse período a criança ficou internada no Hospital Hospital Municipal Albert Schweitzer, no bairro do Realengo. Ela e a irmã devem ficar sob cuidados de uma tia.

Com informações do portal Extra

0 comentários:

Postar um comentário