quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Vídeo flagra bebê 'dirigindo' em estrada com trânsito intenso

post-feature-image

Um vídeo divulgado na última segunda-feira (31) está provocando sussurros de pânico em muitos internautas.

As imagens vem do outro lado do planeta, na #China. Nelas, um bebê de cerca de dois anos aparece “dirigindo” tranquilamente sua “motoca” de brinquedo em uma via expressa, com fluxo intenso de veículos.

A criança tem muita sorte por não ter sido atropelada, uma vez que “guia” pela contramão e no horário de rush. Tudo aconteceu na cidade de Lishui, província de Zhejiang.

As câmeras do circuito externo de segurança flagraram o momento da aventura perigosa. Elas não focam os pais do bebê por perto e no vídeo também não fica claro como a criança foi parar no local.

O caso repercutiu mundialmente depois que a televisão estatal CCTV News deu destaque em sua programação. O vídeo viralizou no Youtube, onde os internautas se impressionam com a tranquilidade e falta de senso de perigo do pequeno.

A tensão de quem assiste cresce à medida em que fica claro que o bebê encara o trânsito na contramão e em uma reta diagonal. Alguns carros e motos conseguem desviar. Um ônibus se aproxima e passa pelo garotinho, que fica entre o coletivo e outro carro. Nesse momento não é possível ter a visão do que acontece. A sensação é que ele foi parar debaixo das rodas do ônibus.

Surpreendentemente, o bebê reaparece em meio a outros veículos que continuam tirando “finas” de seu frágil corpinho.

Felizmente, um agente de trânsito surge para resgatar a criança e sua motoca amarela. Ele parece não acreditar no que acaba de ver. Então pega a criança no colo, lhe diz algumas palavras e remove também a motoca do meio da pista.

O garotinho não teve a identidade revelada. Tampouco seus pais apareceram para dar entrevista e explicar o que ocorreu.

Cenas como essa não são assim tão raras. Dados da Organização Mundial de Saúde apontam que apenas na China cerca de dez mil menores perdem a vida todos os anos em colisões e atropelamentos em vias expressas e estradas. A maioria das crianças mortas estavam na condição de pedestres.





0 comentários:

Postar um comentário