terça-feira, 1 de novembro de 2016

Governo ignora greve dos Policiais Civis. Durante protesto, manifestantes expulsam equipe da CGD na porta do Abolição

Servidores mantêm as delegacias fechadas e querem que governador Camilo Santana honre promessas de campanha feitas à categoria.
Policiais civis cearenses continuam em greve. Na noite do último sábado (29), os servidores mantiveram as manifestações na porta do Palácio da Abolição, sede do Governo do Ceará, no bairro Meireles. Eles fecharam o trânsito na Avenida Barão de Studart e, num dos momentos mais tensos do protesto, expulsaram do local uma equipe da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da segurança Pública e do Sistema Penitenciário (CGD).

A equipe da CGD não explicou o motivo de ter ido ao local. No entanto, ao perceberem a chegada da viatura, os manifestantes passaram a gritar “fora! Fora! Fora”. Cercados, os policiais que, supostamente, seria da Delegacia de Assuntos Internos (DAÍ) decidiram ir embora do local.

Logo em seguida, os policiais civis prosseguiram na manifestação e realizaram uma passeata. Saíram do Palácio e seguiram até a Avenida Beira-Mar, onde mostraram para a população sua indignação com o tratamento que a categoria vem recebendo por parte do Governo.

Acampados

Os policiais montaram um acampamento em frente ao Palácio há cerca de duas semanas e afirmam que de lá só saíram após o governador do estado, Camilo Santana (PT) honrar com o compromisso que fez à classe durante sua campanha eleitoral, de reestruturar a carreira, reconhecendo-a como de nível superior.

Os policiais também estão sem reposição salarial desde o ano passado e enfrentam desvio de função, com as delegacias da Polícia abarrotadas de presos que são da Justiça e, portanto, deveriam estar recolhidos no Sistema Penitenciário. O governador não responde.

Enquanto Camilo silencia, a categoria mantém a paralisação com as delegacias sem atender à população. Apenas duas unidades funcionam por dia, sendo uma em Fortaleza e outra no Interior do estado.


Fonte: Jornalista Fernando Ribeiro

0 comentários:

Postar um comentário