sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Filho mata o pai e o enterra no quintal da casa

Homem foi preso por ocultação de cadáver e responderá por homicídio

Filho mata o pai e o enterra no quintal da casa
Um homem de 30 anos confessou ter matado o pai, de 66, e mostrou à polícia que enterrou o corpo no quintal de casa no Bairro Sidil, em Divinópolis. O crime ocorreu em maio deste ano e o delegado da Polícia Civil, Marco Antônio Montalverne, disse que só encontrou o corpo no final da tarde dessa quinta-feira (10) após denúncia de familiares da vítima.
O filho disse ao delegado que matou o pai depois que ele saiu do presídio Floramar. O idoso estava em casa quando o filho chegou ao local, começou a discutir com ele e o atingiu com uma faca. O suspeito amarrou o pai e o enrolou em um lençol para enterrá-lo.
A vítima tinha uma extensa lista de passagens pela polícia e, inclusive, matou a esposa na frente do filho, segundo o delegado. “O pai tinha várias passagens criminais e o filho relatou que a mãe foi morta na sua frente pelo pai”, reforçou o delegado.
Registro de desaparecimento
O delegado destacou, ainda, que em agosto, familiares da vítima registraram o desaparecimento do idoso. Na ocasião eles contaram que havia a suspeita de que o filho tivesse cometido o crime. Após receber a denúncia, a polícia foi até a casa do suspeito, que confessou e mostrou onde estava enterrado o corpo.
"O filho não permitia que os familiares entrassem na casa há cerca de seis meses. Então nós viemos com toda a equipe e entramos na residência. Após uma conversa com o suspeito ele acabou confessando onde estava o corpo", disse Montalverne.
Marco Antônio informou que o homem foi preso em flagrante por ocultação de cadáver e responderá também pelo crime de homicídio.
Relação conturbada
Em depoimento à polícia, o suspeito disse que tinha uma relação conturbada com o pai. Ele contou que o idoso havia matado a esposa na frente dele, quando era criança. Além disso, colecionava um histórico de violência doméstica. “Ele sempre teve ódio do meu irmão. A avó criou ele falando que ele tinha que matar o pai porque ele tinha matado a mãe”, disse a tia do suspeito, Rosária Natália Pinto.

G1

0 comentários:

Postar um comentário