quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Durante protesto, ônibus é incendiado e vídeo flagra o desespero dos passageiros

post-feature-image

Na manhã desta terça feira (8), em Macaé, no interior do Rio de Janeiro, deu-se continuidade à retirada de cerca de 50 famílias que residiam nas margens da rodovia Amaral Peixoto Norte (RJ-106). Desde o começo da desocupação do terreno as famílias estão protestando, porém o "clímax" da situação se deu ontem.

A ação de reintegração de posse da área, que é de preservação ambiental, na localidade Ladeira de Santana, gerou um clima de apreensão durante todo o dia na cidade. A empresa SIT, que é responsável pelo transporte público em Macaé, interrompeu a circulação de ônibus no bairro após o ocorrido. O trânsito teve de ficar bloqueado durante algumas horas e sofreu alguns desvios.

Durante o #Protesto duas pessoas chegaram a ser presas e várias outras se #Feriram mas receberam atendimento médico no local e foram liberadas em seguida. As famílias revoltadas incendiaram dois ônibus. Um vídeo gravado na rua Dr. Geraldo Menecucci, no bairro Jardim Aeroporto, mostra o desespero dos passageiros que saem atordoados do veículo. Logo em seguida o fogo começa a tomar conta da parte da frente do ônibus. Vale ressaltar que esse vídeo retrata o segundo ônibus que foi incendiado. O primeiro foi incendiado mais cedo, no bairro Parque Aeroporto.

De acordo com a PM, por volta das 16h de ontem a situação já estava normalizada e às 17h o transporte público voltou a circular na cidade, sendo normalizado com o apoio de toda a estrutura de segurança. De acordo com informações do Comandante do 32º BPM, o Tenente-Coronel Marcos Vollmer, cerca de 250 policiais, incluindo militares do Batalhão de Choque, foram deslocados para atuar na ação.

Cerca de 50 famílias estavam ocupando a propriedade privada há cerca de três meses. De acordo com a prefeitura, todas as forças de segurança estão sendo mobilizadas para garantir a organização da cidade e a integridade física de todos. O prefeito diz que vai analisar a situação de cada família no local e verificar se elas tem para onde ir, como casas de parentes ou até mesmo casa própria.





0 comentários:

Postar um comentário