segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Pai que estuprou filha é condenado a 1.503 anos de prisão nos EUA

A Justiça dos Estados Unidos sentenciou na última sexta-feira (21) Rene Lopez, um homem de 41 anos, a nada menos que 1.503 anos de prisão. O réu foi acusado de ter estuprado sua filha adolescente por diversas vezes em um período de quatro anos.

O pedido de condenação partiu da procuradoria e foi aceito pelo juiz do caso, tornando-se a maior sentença já registrada pela Corte Superior da cidade de Fresno (California), onde o caso ocorreu. As informações são do jornal local "The Fresno Bee".

"Quando meu pai me abusou, eu era jovem. Eu não tinha poder, não tinha voz. Era inofensiva", vítima do estupro, que agora tem 23 anos e não teve o nome divulgado pelo jornal

No último mês de setembro, o júri considerou Lopez culpado de 186 crimes de assédio sexual, sendo dezenas deles de estupro de menor.

Segundo Nicole Galstan, procuradora do município, a jovem foi primeiramente abusada por um amigo da família. Em vez de proteger a filha, o pai "escolheu transformar ela em uma propriedade para satisfazer seus próprios desejos sexuais", nas palavras da procuradora.

Acredita-se que a garota tenha sido estuprada de duas a três vezes por semana entre maio de 2009 e maio de 2013. O ato só acabou, segundo a procuradora, quando a vítima tomou coragem de deixar o pai. Mesmo assim, o pai passava pela nova casa da vítima e deixava músicas românticas em recados na caixa-postal.

Lopez foi finalmente preso pela polícia em novembro de 2013, após a filha ligar para a polícia e denunciar o abuso. Antes do julgamento, a corte ofereceu 22 anos de prisão para Lopez caso ele assumisse a culpa. O pai recusou a proposta e disse que deveria ser libertado pelo tempo que já havia cumprido.

O réu não testemunhou e afirmou em uma carta para o juiz que não teve um julgamento justo, além de afirmar que a sua filha mentiu. "É tudo boato", escreveu na carta.

No anúncio da sentença, o juiz Edward Sarkisian Jr. Afirmou que Lopez abusou da posição de confiança, realizou conduta violenta e é um "sério perigo para a sociedade". O magistrado ainda citou que o réu nunca demonstrou remorso e culpa a própria filha pelos estupros.

Sarkisian disse ainda que, quando a garota ficou grávida, o pai pagou pelo aborto. E ainda dirigiu as seguintes palavras para a vítima: "você é uma jovem corajosa".

Via Uol

0 comentários:

Postar um comentário