segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Garoto de 12 anos é agredido a facadas por adolescente de 16

post-feature-image

Uma divergência durante uma partida de futebol. Não bastou mais do que isso para que um adolescente de 16 anos planejasse um ato extremo de tirar a vida de um garoto quatro anos mais novo, em Governados Valadares, município mineiro da Região Leste do Estado. Por sorte, a ideia do agressor não teve o desfecho desejado por ele. Conforme as autoridades policiais, o aluno, de apenas 12 anos, foi atacado a facadas no interior da Escola Municipal Ivo de Tassis, na passada segunda-feira (17 de outubro).

O agressor confessou que queria mesmo era matar o menor, após um desentendimento que tiveram durante uma partida de futebol disputada por ambos dias antes. O intento não foi alcançado por um milagre, já que a vítima foi golpeada no ombro, na barriga, braço e até na região do pescoço.

De acordo com a vice-diretora da escola, o adolescente conversava com os amigos no pátio, quando o agressor chegou e desferiu as várias facadas. Ele teria pulado o muro do colégio para achar o garoto e depois da agressão conseguiu fugir. Funcionários da escola foram chamados pelos amigos da vítima e encaminharam a criança consciente para o Hospital Municipal de Governador Valadares, através das equipes do Samu.

Vários pais de alunos, quando souberam do ocorrido, foram até o colégio em pânico. A vice-diretora tranquilizou os responsáveis, dizendo que o agressor já tinha sido identificado e encaminhado às autoridades responsáveis.

Testemunhas foram ouvidas e a Polícia Militar conseguiu identificar o paradeiro do agressor momentos depois do #Crime. Ele foi apreendido na residência dos avós, com quem mora. Questionado pelo delegado, o adolescente disse que sua intenção era matar a vítima. Ele relatou que tentou achar o garoto pelas ruas mas não conseguiu. Então planejou entrar na escola onde ele estudava para concretizar o crime. Para as autoridades, ele chegou a afirmar que foi uma pena o garoto não ter morrido.

Assustados, familiares de estudantes matriculados na unidade foram buscar seus filhos mais cedo. Uma mãe, identificada como Marta, foi uma das muitas que chegaram abaladas na escola em busca de informações. Ela relatou que ao saber do ocorrido quis se certificar que estava tudo bem com seu filho.

Por meio de comunicado à imprensa, a assessoria da Administração Municipal de Governador Valadares esclareceu que a direção da escola mantém o monitoramento do caso e está tomando as providências cabíveis. O Conselho Tutelar da cidade foi acionado para acompanhar de perto ambas as famílias.

 

.Informaçoes.massapeceara.com

0 comentários:

Postar um comentário