quarta-feira, 21 de setembro de 2016

IMPUNIDADE:ASSASSINATO DE JOVEM EM ACOPIARA É MOTIVO DE DENÚNCIA POR CONTA DA IMPUNIDADE DOS CRIMINOSOS

Acopiara Karina 4
Karina Firmino, mãe de um bebê, foi assassinada aos 21 anos de idade
A impunidade que envolve o assassinato de uma jovem na cidade de Acopiara, na região Centro-Sul do Ceará (a 340Km de Fortaleza) tem causado um estado de revolta e indiganão à população daquele Município. O assunto foi abordado pelo jornalista Fernando Ribeiro no programa “Da Hora”, na TV UNião, na última segunda-feira (19).
O crime está sendo investigado de forma sigilosa pela Polícia Civil mas até agora, passados mais de quatro meses do fato, nenhuma autoridade da Segurança Pública, do Ministério Público ou da próoria Justiça, veio à publico informar sobre o esclarecimento do caso.
A família de Karina Firmino luta para que o caso não caia na impunidade. A população de Acopiara chegou a ir às ruas, num ato de manifestação por justiça que reuniu cerca de duas mil pessoas. A cidade vestiu branco para render homenagens à vítima da brutalidade dos criminosos e exigiu uma resposta da Polícia. Ainda assim, o trabalho da Polícia se arrasta na unidade de Investigação de Homicídios da Delegacia Regional de Polícia Civil em Juazeiro do Norte, no Cariri.
Transferido
A pedido da família da vítima, e por decisão do delegado-geral da Polícia Civil, o inquérito que apura o crime foi transferido da Delegacia de Acopiara para Juazeiro com o intuito de não haver corporativismo, já que uma escrivã da própria delegacia de Acopiara figura como suspeita do caso. Karina Firmino, como já de dompínio público, teve um relacionamento com o marido da escrivã, um soldado da PM lotado no Ronda do Quarteirão, que acabou sendo transferido de Acopiara para Iguatu. Já a escrivã está agora lotada numa Delegacia Especializada, em Fortaleza.
O crime
Depois que engravidou, Karina Firmino teria passado a receber ameaças. Ela foi morta, a tiros, na noite de 4 de maio último, na porta de sua casa, em Acopiara, por dois pistoleiros que a aguardavam no local e fugiram numa motocicleta. O assassinato ocorreu meses após a jovem dar a luz ao bebê fruto de seu relacionamento com o policial militar.  Exames de DNA recentemente concluídos e ratificados pela Justiça provaram que a criança é realmente filha do PM.
Com as investigações se aprofundando na direção de um crime de pistolagem, o caso passou a ser apurado sob sigilo. Contudo, essa decisão levou também ao seu prolongamento e a falta de informações sobre a conclusão do inuqérito tem gerado uma sensação de impunidade junto à população de Acopiara.
Politicagem
Para completar, informações dão conta de que o caso estaria sendo mantido sem resoçução por conta de interesses políticos eleitorais, já que suspeitos seriam ligados ao prefeito e candidato á reeleição de Acopiara.
 FONTE:.blogdofernandoribeiro

0 comentários:

Postar um comentário