terça-feira, 20 de setembro de 2016

COM CRISE, TRABALHO DE FREELANCER PODE SER SAÍDA; VEJA DICAS


  • O trabalho freelancer sempre foi conhecido por ser uma fonte de renda extra para ajudar a fechar as contas no final do mês. Mas com a crise, o modelo vem sendo a saída encontrada por muitos desempregados para manter a renda, sendo encarado até mesmo como um emprego fixo. Mas para se dar bem nesse tipo de modalidade de trabalho, organização, atualização e boa comunicação são fundamentais, segundo especialistas.
    Veja no vídeo do Jornal Hoje dicas de como se dar bem no trabalho de freelancer

    Mas a vida de um freelancer não é tão fácil assim. Dados de uma pesquisa do site trampos.co revelaram que 57% dos brasileiros que trabalham dessa forma sentem falta de renda fixa e benefícios. Já para 68%, conseguir clientes é uma grande preocupação. Por outro lado, 35% afirmaram que a flexibilidade gera motivação para a rotina. Apenas 1% disse ter saudades de ter um chefe.

    Para o especialista em comportamento humano e presidente da Sociedade Latino Americana de Coaching (SLAC), Sulivan França, o principal é que o profissional se mantenha atualizado. "Com a crise, existem muitas pessoas que estão trabalhando assim. Eles precisam se especializar e se modernizar. Não adianta a pessoa apresentar sempre o mesmo enquanto o colega ao lado está exibindo novidades e coisas bem mais interessantes", afirma.

    Segundo França, para quem já trabalhou na área, antes de virar freelancer, vai ser mais fácil se sustentar. "Se você já conhece pessoas da área, você vai ter mais facilidade para conseguir trabalhos. Conhecimento e contato são imprescindíveis para quem vai trabalhar dessa forma. Mostrar que você faz um bom trabalho e que é responsável, sempre vai fazer com que as pessoas voltem a te procurar. Você precisa cuidar da sua reputação e com um tempo ficará conhecido pelo o que faz", afirma.

    Outra dica importante é o profissional se manter sempre organizado e cumprir os prazos combinados. "Você precisa mostrar que o seu trabalho é melhor e que você está levando aquilo a sério. Se você perder as informações que o cliente passou ou atrasar a entrega, ele não vai voltar a te procurar na próxima vez", conta.

    Veja 10 dicas de Sebastián Siseles, diretor internacional do Freelancer.com:
    1. O trabalho freelance não se resume a um único projeto
    Tem se tornado cada vez mais comum empreendedores que trabalham sozinhos utilizar  freelancers para desenvolver todos os projetos necessários, enquanto eles apenas gerenciam o negócio. É um modelo que oferece um bom custo-benefício para os empreendedores e alguns trabalhos podem se estender até seis meses.

    2. Alguns campos estão crescendo mais rápido
    Todos os tipos de indústrias e profissões têm o potencial para o trabalho freelance, mas algumas categorias estão com mais oportunidades disponíveis. Trabalhos científicos relacionados ao desenvolvimento móvel, criação de conteúdo, e-commerce e de dados estão em ascensão.

    3. Pense além da localização
    A maioria dos trabalhos pode ser feito remotamente. Do ponto de vista de negócio, empresas conseguem captar talentos sem os custos que teriam para montar uma estação de trabalho, necessário no caso de funcionários formais. Você pode ser mais qualificado para um emprego que alguém que está geograficamente mais perto da empresa. Esse modelo de trabalho permite que você não perca a vaga apenas por conta da sua localização.

    4. Leia a descrição da vaga
    Tire um tempo para entender muito bem a vaga para a qual você está se candidatando. Você pode executar todos os requisitos da vaga com sucesso? Tem alguma coisa na descrição da vaga que não ficou clara? Não tenha medo de entrar em contato com a empresa e perguntar sobre a vaga antes de se candidatar.

    5. Escreva uma boa carta de apresentação
    Assim como o emprego formal, para se candidatar a um trabalho freelance é necessária uma carta de apresentação. Expor a sua experiência e demonstrar o interesse e animação sobre a proposta aumentam as chances de receber um feedback positivo dos empregadores.

    6. Destaque as suas qualidades
    70% das empresas que contratam freelancers o fazem para preencher uma deficiência específica no quadro de funcionários. Se a descrição da vaga lista uma combinação de qualidades que você tem, destaque suas habilidades e apresente cases de sucesso, mostrando que você é o melhor freelancer para o trabalho.

    7. Tenha sempre um portfólio
    Portfólio é uma ferramenta essencial para os freelancers. No entanto, se você não tem um perfil on-line, é importante ter em mãos clippings, arquivos e outros projetos para o caso de recrutador pedir para vê-los. Contudo, é importante ter cuidado com a escolha dos projetos que serão apresentados ao empregador - é necessário que as peças sejam relevantes para a tarefa que está se candidatando.

    8. Conheça o mercado
    Se você está em posição de negociar valores com a empresa, é importante fazer antes uma pesquisa de mercado para saber quanto outros freelancers estão ganhando em trabalhos similares. Você quer se oferecer de forma competitiva, mas também precisa estar ciente do quanto valem as suas habilidades. Os clientes, frequentemente, procuram por um trabalho de alta qualidade, então as empresas vão sempre estar dispostas a pagar mais por um freelancer que tenha uma grande reputação e produziu um trabalho excepcional.

    9. Comunicação é fundamental
    Apesar de não ser um funcionário formal da empresa, é importante entender que durante esse período eles passam a ser o seu “chefe”. E esperam que a tarefa atribuída seja executada com excelência. É necessário manter as linhas de comunicação abertas para garantir que ambas as partes estão recebendo o que precisam.
    Se preciso, utilize ferramentas para estar constantemente conectado ao cliente. Ao finalizar um projeto, esteja aberto ao feedback e disposto a revisar e fazer alterações se necessário.

    10.  O trabalho mais difícil de obter é o primeiro
    Se você nunca foi um freelancer, o pontapé inicial pode ser difícil. Sem um histórico e portfólio de projetos anteriores, pode ser árdua a tarefa de convencer o cliente a contratá-lo. No entanto, uma vez que você começar a ter algumas tarefas sob seu comando, será capaz de mostrar o seu trabalho para futuros potenciais empregadores, mas você pode ter que fazer um pequeno projeto sem ser remunerado para se provar inicialmente. E você poderá mostrar que tem uma visão sobre o que querem e como você é perfeito para fazer o trabalho.

    Como cobrar
    Uma das coisas mais importantes para determinar na carreira de freelancer é a estratégia de precificação, pois há sempre o risco de cobrar caro demais e perder clientes, ou barato demais e perder dinheiro. Veja dicas de como cobrar pelos trabalhos da Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina:

    1. Pesquise a média que os profissionais da sua área estão cobrando 
    Sempre terá aquele profissional mais qualificado que cobra preços mais altos por conta da qualidade que entrega, ou então profissionais no início da carreira que cobram preços mais baixos para ganharem carteira de clientes. No entanto, o segredo é sempre cobrar o máximo que você ache que vale o seu tempo, sem ficar muito distante da média de mercado.

    2. Calcule o valor do seu tempo com base nos gastos mensais e planejamento financeiro
    É importante levar em conta os gastos mensais, além do lucro que deseja tirar naquele mês e no extra que deseja ganhar para separar para a poupança. Um jeito fácil é levar em conta um salário de CLT, dividindo o valor pelas horas de trabalho mensais para obter um valor aproximado para levantar o valor da hora trabalhada.

    3. Compare os dois valores levantados
    Compare o preço de mercado praticado por seus concorrentes com o preço que você deseja cobrar. Se o preço que você quer cobrar está próximo do preço praticado, sua estratégia de precificação é viável, e você pode mandar sua proposta sem medo. Se o preço está maior do que o praticado pelo mercado, você precisa avaliar que, se você está cobrando mais do que outros profissionais, o cliente precisa entender o motivo e que o seu trabalho vale o investimento mais alto. Já se o seu preço for menor do que o praticado - o que é raro acontecer - você se torna muito mais competitivo.

    Só tenha em mente que muitos clientes podem ver preços muito baixos como sinônimo de má qualidade. Então, busque formas de provar ao cliente que você cobra pouco, mas vale muito. Mostre sua experiência de trabalho, exiba seu portfólio para comprovar a qualidade de suas entregas e fale de suas qualificações.

    4. O valor final de cada projeto é fechado na negociação
    Nem sempre o seu preço vai ser o mesmo em todos os seus projetos. Muitas vezes, o cliente vai pedir um pouquinho de desconto ou você vai ter que cobrar um pouco mais porque a complexidade do trabalho é maior do que você tinha entendido. É para isso que existe a fase de negociação. Nessa fase, é crucial se comunicar com clareza e atenção.

0 comentários:

Postar um comentário